Aplique as 5 forças de Porter no seu Negócio

Michael Porter criou as 5 forças de competitividade, que também recebe o nome de cinco forças de Porter. Esse cidadão é um dos nomes mais fortes quando o assunto é estratégia e competitividade organizacional.

Você pode até não conhecer as 5 forças de Potter e dessa forma imaginar que se trata de um tema novo. Porém, em 1979 michael Porter publicou um artigo que tratava do tema na Harvard Business Review.

A partir desse ano as organizações têm buscado compreender as cinco forças de Porter para usar como metodologia de desenvolvimento e assim determinar a sua posição no mercado.

Essas forçascomumente explicadas como não voláteis, ou seja, elas não sofrem alterações, a exemplo da volatilidade das intervenções governamentais e das mutações tecnológicas.

Mas é importante destacar que embora as forças em si não sejam voláteis, existem fatores, a exemplo da transformação digital, que podem causar algumas modificações na compreensão e aplicação dessas forças.

Na sequência, iremos tratar das cinco forças de Porter para que você compreenda e possa aplicá-las no seu negócio.

Conheça agora as cinco forças de Porter

As cinco forças de Porter são resumidamente as seguintes:

Rivalidade entre concorrentes

Poder de barganha dos fornecedores

Poder de barganha dos clientes

Ameaça de novos concorrentes

Ameaça de novos produtos ou serviços

A princípio, já se sabe que essas forças contribuem na análise competitiva organizacional. Porém, para aplicá-las em sua empresa é necessário entender além do básico, e dessa forma elaborar uma análise perfeita sem excluir qualquer elemento útil.

Conheceremos agora com mais detalhe cada uma das 5 forças de Porter.

1. Rivalidade entre concorrentes

A primeira força se refere ao grau de competição existente entre os concorrentes. Sabe-se que alguns possuem baixa competitividade, e a partir disso podemos chegar à conclusão de que não existe uma alta demanda ou que o produto é obsoleto.

Mas também existem mercados de alta competitividade, onde fica praticamente saturado devido à grande quantidade de fornecedores que superam a demanda dos clientes. Em casos como este, o poder de uma organização certamente será pequeno dentro desse setor.

Para fazer a análise dessa força você deve perguntar-se:

– qual a quantidade de competidores no setor?

– esses competidores competem por preço ou por algum outro atributo?

2. Poder de barganha dos fornecedores

Com a segunda força de Porter é possível determinar a posição de sua empresa no mercado em relação aos fornecedores, ou seja, o quanto você depende destes.

Para entender essa força basta uma simples equação: Se for baixa a quantidade de fornecedores, então o seu controle será pequeno, visto que os demais poderão sentir-se à vontade para alterar a qualquer momento preços e prazos.

Por outro lado, quando a quantidade de fornecedores é alta, você passa a ter o controle no mercado, podendo dessa forma barganhar no preço e no prazo de entrega e até mesmo nas condições de pagamento.

As perguntas que você deve fazer para a análise dessa força são:

– qual a quantidade de fornecedores?

– quem possui o poder entre eu e meu fornecedor?

3. Poder de barganha dos clientes

A ideia nessa força se assemelha a força explicada anteriormente. De um modo geral, quando o nível de competição é alto, então também será alto o controle dos clientes no processo de venda.

O que pode acontecer é em algum momento inverter a situação: Se houver escassez no oferecimento do produto, o controle poderá voltar para as mãos das organizações.

As perguntas que você deve fazer para análise nessa força são:

– qual a proporção entre compradores e fornecedores?

– quem detém o poder, compradores ou fornecedores?

– os clientes são ativos e afetam a opinião de outros?

4. Ameaça de novos concorrentes

Com esta força é observado o nível de dificuldade para novos concorrentes entrarem em um determinado setor. Iremos lançar mão de um exemplo para compreender melhor a situação.

No mercado de produtos de informação em que existem os infoprodutos é muito fácil entrar no setor, visto que a dificuldade técnica bem como os custos são bem baixos.

Para a análise dessa força você deve fazer as seguintes perguntas:

– qual o custo para abrir um negócio no setor?

– há algum incentivo governamental para iniciar no setor?

5. Ameaça de Novos Produtos

Essa força é diz respeito a ameaça de novos produtos ou serviços que podem oferecer ao entrarem no mercado substituindo produtos e serviços anteriores.

Um exemplo pode ser o mesmo que citamos anteriormente. Com a transformação digital certamente houve mudanças significativas e até permanentes no modo como os clientes compram e utilizam produtos e serviços.

Para fazer a análise dessa força, você deve essencialmente elaborar as seguintes perguntas:

– já existe algum projeto capaz de substituir o meu produto ou serviço?

– existe facilidade em encontrar alternativas para o meu produto ou serviço?