Conceitos de Growth Hacking para explodir sua Startup

Você sabe o que é Growth Hacking? Saberia também dizer que com ele você pode explodir a sua Startup? É isso mesmo que você ouviu: Basta conhecer os conceitos de Growth Hacking para explodir a sua Startup!

Mas antes desta explosão, vamos então aos conceitos!

O que é Growth Hacking?

De uma maneira geral e didática o Growth Hacking é uma metodologia aplicada ao marketing que guarda consigo ideias modernas e inovadoras. Uma combinação entre engenharia e marketing, essa metodologia foi criada no Vale do Silício nos anos 2000.

O marketing tradicional que se baseia na mídia, nos links, nas redes sociais, nos eventos, nas relações públicas, entre outros, se diferencia pela nova metodologia de Growth Hacking. Mas, de que forma acontece essa diferenciação?

É que com o Growth Hacking as ideias vão muito além da combinação entre SEO, testes do tipo A/B, inbound marketing, vídeos e textos virais, entre outros. Em cima disso tudo acrescenta-se audácia com intuito de atacar os concorrentes.

Criação do Growth Hacking

Quem criou o termo Growth Hacking foi um cara chamado Sean Ellis, e isso aconteceu no ano de 2010. Na época ele era mentor e também o gestor das políticas de marketing do Dropbox, e por esse motivo estava imergido no mundo do marketing à procura de ideias geniais.

Foi nessa época que ele lançou o artigo intitulado “Find a Growth Hacker for your Startup” que trata especificamente da metodologia de Growth Hacking. Mas as coisas não ficaram por aí, e as ideias evoluíram.

Foi Andrew Chen quem popularizou o termo Growth Hacking por meio do artigo intitulado Growth “Hacker is the new VP of Marketing”. Na época esse cara era a pessoa responsável por recrutar motoristas para trabalhar com o aplicativo Uber.

O artigo indicado acima fazia análise do crescimento da plataforma AirBnb, especializado em oferecimento de acomodações para turistas via internet. O artigo falava do trabalho da AirBnb em publicar seus anúncios no Craiglist, que era um fórum que oferecia produtos e serviços de todos os tipos e possuia mais de 10 milhões de usuários.

Mas, novamente a coisa continuou a andar, e novos pensadores começaram a tratar com seriedade as aplicações da metodologia de Growth Hacking. Foi o caso do Aaron Ginn que em alguns de seus escritos afirmou que o profissional que trabalha com esta metodologia, o chamado Growth Hacker, precisa necessariamente ter as seguintes habilidades:

Métrica

Criatividade

Curiosidade

Agora que você ficou por dentro dos conceitos da metodologia de Growth Hacking, então chegou definitivamente a hora de explodir a sua Startup. E para isso, selecionamos 10 canais!

10 canais de Growth Hacking para você explodir sua Startup

Todos nós sabemos que qualquer Startup possui um produto ou serviço oferecido ao público alvo. Mas, é uma realidade que nem todo produto ou serviço possui clientes interessados. Daí a necessidade de criar uma política de marketing interessante, e por que não dizer, audaciosa!

Essa política deve ter o intuito de gerar constantemente uma audiência capaz de gerar saída para o seu produto ou serviço, e assim fazer crescer a startup.

Para ajudar você nessa empreitada, iremos nos basear no livro intitulado “Traction“ e escrito pela dupla Gabriel Weinberg e Justin Mares. Nesta obra, são citados diversos canais de Growth Hacking capazes de fazer sua Startup crescer de forma absurda em um pequeno espaço de tempo.

Vamos conhecer agora os 10 canais de Growth Hacking

1. Conteúdo viral

Trata-se de qualquer conteúdo, geralmente texto ou vídeo, que é capaz de espalhar a marca da sua empresa por um número imenso de pessoas. Um exemplo de conteúdo viral é o criado pelo DollarShaveClub.com e que conseguiu mais de 12 mil clientes em apenas dois dias.

2. Search Engine Marketing – SEM

Trata-se das famosas palavras chaves e são bastante utilizadas pelo buscador do Google. É uma ideia genial, porém é necessário dispor de dinheiro para investimento de manutenção.

3. Social & Display Ads

Esse canal utiliza das principais redes sociais, como o Facebook, o Instagram, o LinkedIn e o Twitter. Trata-se de exibir produto especialmente para um grupo de nicho, e é bastante indicado para negócios que estão em início. Um exemplo é o que foi publicado na rede social no Facebook do “Quinto Andar”.

4. Offline Ads

Esse canal utiliza do sistema de awareness e visa atingir um numeroso público. A ideia é mesmo mexer com as multidões, com a massa populacional. O exemplo de aplicação é o da OLX com o Rap do Desapega do Ceará.

5. Inbound Marketing

Esse canal utiliza de blogs, planilhas, redes sociais, e-books, infográficos, webinar e muitos outros para oferecer a uma clientela específica um determinado conteúdo útil e de qualidade. É através desse conteúdo que se pretende gerar audiência e consequentemente leads.

6. E-mail marketing

Uma vez conseguido lead o e-mail marketing é ideal para gerar um relacionamento com o cliente. O canal se baseia em campanhas automatizadas que visam a aproximação e sugestão de novos produtos ao referido cliente.

7. Search Engine Optimization (SEO)

Aquisição de Keywords para mecanismos de busca, você consegue apontar para seu target audience (público-alvo).

8. Programa de Afiliados

Já pensou em oferecer benefícios como descontos, menos taxas e muito mais para que seus clientes atuais recomendem seu produto ou serviço? Ou até mesmo oferecer uma comissão? Essa estratégia permite que você multiplique a sua extensão de vendas.

9. Eventos Offiline

Esse eventos presenciais eleva a autoridade da sua marca, você pode utilizar para para networking e apresentação de produtos ou serviço da sua company.

10. Assessoria de Imprensa

Utilizada para tornar sua empresa conhecida frente a um grande público, posicionando-a como autoridade e elevando a sua equity.

Curtiu?

Deixe um comentário 🙂

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *